Porque contratar rastreamento e monitoramento de veículos?

A resposta, ou as respostas, para essa pergunta vem de encontro com algumas questões culturais e econômicas, vivenciadas no inicio dessa atividade e que refletem atualmente.

Por consequência acaba-se relacionando um pequeno investimento como uma grande despesa, esquecendo-se completamente de todos os benefícios decorrentes desse serviço.

O rastreamento de veículos desembarcou no Brasil na década de 90, tendo como alvo empresas de transporte. O investimento nesse tipo de serviço soava “proibitivo” aos ouvidos do público em geral devido ao alto custo.

Justificava-se então o valor do serviço relacionando ao alto custo dos equipamentos e da transmissão de dados, ambos dependentes de tecnologia importada, com locação de comunicação de satélites, coisas que para o mercado nacional era absurdamente caro.

Mas vamos lá, na década de 1990 quem tinha um telefone celular também era considerado pelo menos, uma pessoa “muito bem de vida” correto?

Então o que mudou de lá para cá?

Praticamente tudo: desde o tamanho, origem e tecnologia dos equipamentos – o que por sua vez reduziu drasticamente o valor deste item, até mesmo o cenário da comunicação nacional.

Hoje em dia todo mundo que opta por um telefone celular acaba escolhendo um smartphone com acesso a internet, a mesma que hoje é utilizada para a comunicação de dados dos rastreadores veiculares, ou seja, tornou-se algo acessível, de baixo custo e com benefícios importantes (Principalmente para empresas).

Para quem busca contratar esse serviço (Rastreamento/Monitoramento), eu coloco na minha opinião em ordem de importância alguns itens fundamentais para serem avaliados:

  • Custos
  • Benefícios
  • Formas de Contratação
  • Tecnologias Envolvidas